logo-helbor-branco

Notícias

Mogi das Cruzes/Helbor faz clínica de basquete na escola Leonor de Oliveira Mello

A manhã desta quinta-feira (25) foi agitada para os alunos da Escola Estadual Leonor de Oliveira Mello, no Mogilar. Cerca de 350 estudantes participaram de uma clínica de basquete com os jogadores e a comissão técnica do Mogi das Cruzes/Helbor. 

Divididos em blocos na quadra da escola, os jovens puderam conhecer alguns alguns fundamentos do esporte, como passe, arremesso e drible. No final, dois times, um masculino e outro feminino, puderam duelar contra os jogadores do time. “As crianças adoraram a presença deles. É muito importante para os jovens, porque vai motivá-los a praticar algum esporte, mesmo que não seja o basquete”, ressalta a diretora da escola, Fernanda Maria da Silva Moraes.

Um dos mais assediados pelos estudantes durante as atividades foi o jovem armador Vithor Lersch. “É muito importante esse contato com as crianças e adolescentes da cidade, porque, às vezes, em vez de seguir outro caminho eles podem se espelhar na gente e começaram a jogar basquete ou praticar um outro esporte. Dá para ver a felicidade deles quando a gente está perto, jogando e brincando com eles. É um prazer para nós participarmos dessas clínicas, porque a gente vê o reconhecimento. É bom para eles e para nós também. Fico feliz demais de poder fazer parte disso e ver o brilho nos olhos desses jovens”, destaca o camisa 9 do Mogi das Cruzes/Helbor.

Na próxima semana, o grupo deve visitar outras duas escolas da cidade. As unidades selecionadas serão anunciadas na página do clube no Facebook.

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

Tyrone renova com Mogi das Cruzes/Helbor por mais uma temporada

Destaque da equipe na temporada, o ala-pivô Tyrone Curnell acertou a permanência no Mogi das Cruzes/Helbor por mais um ano. O anúncio foi feito pela diretoria no final da tarde desta quarta-feira (24) após acerto com o atleta. Na segunda (22), o clube já havia confirmado as permanências do técnico Guerrinha e do ala Shamell Stallworth.

“A renovação com o Tyrone é uma alegria grande, porque a cada ano que passa ele se efetiva mais como um grande jogador. A posição dele é especial. Ele joga de 3, de 4, dentro e fora do garrafão. É uma peça muito destacada da nossa equipe e  a gente fica feliz de poder contar com ele por mais uma temporada. É um cara que dá o máximo dele para a equipe e foi um pedido do nosso técnico, que é quem avaliza as contratações e as permanências. Isso mostra que a nossa equipe está sendo montada para ser tão competitiva quanto na temporada passada”, destaca o secretário de Esporte e Lazer de Mogi das Cruzes, Nilo Guimarães.

Esta será a quarta temporada do americano no time mogiano. No último NBB Caixa (Novo Basquete Brasil), o ala-pivô participou de 31 jogos e teve média de 31,7 minutos em quadra por jogo. Tyrone anotou 453 pontos (14,6 média), pegou 206 rebotes e fez 87 assistências. A atuação dentro de quadra e o carisma fora dela renderam ao jogador a maior votação popular para o Jogo das Estrelas 2017, com 45.019 indicações.

“Em três anos aqui em Mogi, eu criei uma paixão enorme, que você não consegue sair. Se saísse, me sentiria estranho em outro lugar. A torcida me abraçou muito. Os torcedores me receberam de braços abertos desde o meu primeiro jogo até o último. Isso me deixa muito mais confortável, com confiança, com um sentimento muito legal, mesmo eu sendo um estrangeiro. Eu não tenho família aqui, mas com essa torcida eu senti que estou com meu pai, meu irmão, minha tia, meu tio. E também quando você vê que o Shamell e o Guerrinha renovaram, querendo voltar, sabendo que a gente não saiu feliz e querendo mais, isso me motiva também. Eu quero fazer parte de uma coisa grande dessas, com a estrutura que temos, com a prefeitura e a Helbor. Todo mundo está fechado com a gente e eles sabem do que a gente é capaz”, explica Tyrone Curnell.

O técnico Guerrinha ressalta qualidade, evolução e comemora permanência do atleta por mais uma temporada na equipe. “O Tyrone é um jogador muito importante para o Mogi e teve uma evolução fantástica este ano ofensivamente. Passou a ser um jogador com mais armas ofensivas. Defensivamente é um jogador com físico privilegiado e tem um trabalho de equipe muito bom nas rotações. Defende jogador de qualquer tamanho. No ataque, ele personalizou o arremesso dele, ganhando confiança. O Tyrone é um jogador dominante dentro da quadra. Nesta temporada, ele pode evoluir mais ainda. Já conversamos isso, que todos podemos evoluir muito mais. Fico feliz de poder contar com um jogador tão versátil e com tantas armas defensivas e ofensivas. Além disso, é um jogador muito carismático para o Mogi. A torcida, as crianças e os patrocinadores gostam muito dele”, pontua o treinador.

O ala-pivô embarca na manhã desta quinta para férias nos Estados Unidos.

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

No minuto final, Sub-19 do Mogi das Cruzes/Helbor perde para o Pinheiros

O Mogi das Cruzes/Helbor chegou a descontar uma diferença de 12 pontos no placar, mas foi superado por 74 a 71 pelo Pinheiros nesta noite, no Ginásio Hugo Ramos. Após o jogo ficar empatado em 71 a 71, faltando menos de um minuto para acabar, o time da capital conseguiu abrir três pontos e segurou a reação da equipe mogiana, que ainda tentou um arremesso da linha dos três sem sucesso.

Os destaques da partida pelo Mogi das Cruzes/Helbor foram o ala-pivô Felipe Franklin, cestinha com 22 pontos e sete rebotes, o ala-armador Geovane Teixeira, com 14 pontos e cinco assistências, e o ala Pedro Botelho, 13 pontos.

As duas equipes já haviam se enfrentado em São Paulo, em março. Na ocasião, o Pinheiros venceu o Mogi das Cruzes/Helbor por um placar bem elástico: 111 a 55. Ao término do jogo de hoje, o técnico Alexandre Rios parabenizou o time pela postura na partida. “Isso mostra a evolução da equipe e o potencial que ela tem. Estávamos com oito atletas, temos um doente e dois lesionados. Perdemos o jogo lá por quase 60 pontos e não ganhamos hoje aqui por detalhes. A equipe está de parabéns. Se comportou e se defendeu muito bem”, destaca o treinador.

Nas parciais dos períodos, o Mogi das Cruzes/Helbor venceu o primeiro (20 a 17) e o último (24 a 16) e perdeu o segundo (14 a 21) e o terceiro (13 a 20). A próxima partida da equipe será contra o São Caetano, na quinta-feira, às 16h, no Hugão. A entrada é livre.

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

Mogi das Cruzes/Helbor renova com Guerrinha e Shamell e quer manter a base

A diretoria do Mogi das Cruzes/Helbor anunciou na tarde desta segunda-feira a permanência de duas importantes peças da equipe para a próxima temporada: o técnico Guerrinha e ala Shamell Stallworth. O clube também está conversando com os demais jogadores e até o final da semana deve fechar outras renovações. A ideia é manter a base da equipe que foi campeã Paulista e Sul-Americana na temporada passada. De acordo com o treinador, o armador Elinho Corazza e o pivô Gerson do Espírito Santo não terão os contratos renovados.  

As permanências de Guerrinha e Shamell foram anunciadas em coletiva de imprensa no Ginásio Hugo Ramos pelo secretário de Esporte e Lazer de Mogi das Cruzes, Nilo Guimarães. “Não precisa muito para entender que o Guerrinha é um grande técnico. Não à toa, ele foi lembrado para ser o futuro técnico da seleção brasileira. É um grande nome do basquete brasileiro e aonde ele foi se tornou campeão. Na primeira oportunidade que teve em Mogi das Cruzes, de três títulos ganhou dois. Nós acompanhamos o dia a dia da equipe e estamos vendo o quanto a equipe está evoluindo”, ressalta Nilo.

Após uma estreia vitoriosa na equipe, o treinador se diz ainda mais motivado para continuar trabalhando em uma cidade que respira basquete. “Pela grandeza do time de Mogi, pela cidade, pelo basquete, pela torcida, pelo momento do projeto, pelas pessoas envolvidas. São muitas coisas boas para pensar em continuar, independente da temporada que nós fizemos. Para segunda temporada melhor ainda. Já estou adaptado, colaborei com o projeto e gostaria de colaborar muito mais ainda fora da quadra com projeto social. Acho que tem muita coisa ainda para trabalhar”, destaca Guerrinha.

Quem também vive um momento especial com a cidade é o ala Shamell Stallworth. Ele se diz totalmente adaptado a Mogi e também à filosofia de trabalho do treinador. “O que me fez ficar foi a adaptação a Mogi, os torcedores, a cidade, que é muito fanática pelo basquete, meus filhos estão gostando de Mogi também e meu compromisso que eu tenho aqui. Nos últimos três anos foi muito bom o crescimento da equipe no projeto. Esse ano não foi decepcionante para mim. Disputamos três campeonatos e ganhamos dois. Eu sinto que o trabalho tem de continuar aqui, tem uma base muito boa. Começando com os patrocinadores, a Helbor, os demais patrocinadores, o Nilo à frente do projeto e o Guerrinha. Eu fiz um bom trabalho com ele e estou bem ansioso para ficar mais uma ano trabalhando junto”, adverte o norte-americano.

Em conversa com o treinador, o clube buscará dois jogadores para repor as saídas de Elinho e Gerson.

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

Torcida familiar, Garra Mogiana comemora seu primeiro aniversário

Quem pensa que ter filhos pequenos é um empecilho para torcer apaixonadamente por uma equipe não conhece o casal Luciana e Felipe de Sá. Os dois não só gostam do Mogi das Cruzes/Helbor como também passaram a paixão para os três filhos e estão mobilizando outras famílias para torcer pelo time. Foi desse amor e da ideia de levar mais crianças para o Hugão que surgiu a torcida organizada Garra Mogiana em maio do ano passado.

“A gente acompanha o time mais assiduamente desde 2014. O amor cresceu e em 2015 já começamos a pensar em montar uma torcida. Eu estava grávida do meu terceiro filho, os dois outros já iam aos jogos, e pensamos em fazer uma torcida ‘família’, que motivasse as pessoas a levarem crianças para o ginásio. Assim o amor pelo Mogi começaria desde os pequenos, passaria de geração para geração e não morreria. Em maio de 2016, depois de muita conversa, nós sentamos e no dia 21 decidimos pelo nome Garra Mogiana”, destaca a presidente, Luciana de Sá.

Atualmente, a torcida tem apenas 15 pessoas cadastradas, mas quem vai ao ginásio percebe que a presença dela está aumentando a cada partida. Principalmente, entre os pequenos torcedores. “Ainda temos poucos integrantes, mas o nosso intuito de levar crianças aos jogos nós conseguimos. Falamos para amigos, familiares e eles foram levando. Na frente da nossa bandeira sempre parece uma creche, porque as crianças gostam de ficar perto da gente. Às vezes, levamos bexigas, pirulitos e eles gostam. As crianças vão fazendo amizades entre elas e gostando mais ainda do basquete”, brinca a presidente.

Quem se interessou em fazer parte dessa torcida familiar pode mandar um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e ter mais detalhes sobre a adesão.

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

Com chuva de duplo-duplo, Sub-22 atropela Esperia pelo Paulista no Hugão

O Sub-22 do Mogi das Cruzes/Helbor venceu o Esperia/Mackenzie por 111 a 46 nesta tarde no Ginásio Hugo Ramos. O jogo, válido pelo Campeonato Paulista da categoria, contou com a presença de cerca de 50 torcedores.

Quatro jogadores mogianos fecharam a partida anotando um duplo-duplo: os alas-pivôs José Carlos (22 pontos e 11 rebotes), José Mauro (16 pontos e 16 rebotes) e Felipe Franklin (11 pontos e 10 rebotes) e o armador Lucas Lacerda, com 15 pontos e 12 assistências. O cestinha do jogo também foi do Mogi das Cruzes/Helbor, o ala-armador Guilherme Lessa, que marcou 26 pontos.

“A gente fez o que vem treinando. Mesmo sendo uma equipe mais fraca, pedi para eles jogarem com seriedade e fazerem o que a gente vem treinando na defesa. Nós tomamos 65 pontos lá no primeiro jogo contra eles. Hoje foram 46 pontos, já melhoramos a defesa. O ataque também melhorou. Agora é continuar trabalhando firme para o próximo jogo contra o Pinheiros, que será difícil. Nós perdemos por três pontos na casa deles. Vamos ter uma semana para treinar e corrigir detalhes para este jogo”, ressalta o técnico Danilo Padovani.

O Mogi das Cruzes/Helbor venceu todos os quartos da partida: o primeiro por 35 a 8, o segundo por 16 a 11, o terceiro por 35 a 17 e o último por 25 a 10. A equipe só volta à quadra pela competição no dia 31, às 19h, no Hugão, contra o Pinheiros. Os mogianos estão na terceira colocação do grupo B, que tem Liga Sorocabana (1º), Pinheiros (2º), América (4º) e Esperia/Mackenzie (5º). 

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

 

Mogi das Cruzes/Helbor leva basquete para ‘Bairro Feliz’, em Jundiapeba

Seguindo o exemplo da visita feita à uma escola estadual na sexta-feira (19), a manhã deste sábado (20) também foi de projeto social para o Mogi das Cruzes/Helbor. Os atletas e a comissão técnica participaram do programa Bairro Feliz, da Prefeitura de Mogi das Cruzes, no Cempre Professora Lourdes Lopes Romeiro Iannuzzi, no distrito de Jundiapeba, e ensinaram um pouco de basquete para as crianças. Além da míni-clínica ministrada para as crianças do bairro, o grupo também assistiu à apresentação da Orquestra Sinfônica Mirim, tirou muitas fotos e deu autógrafos.

“O Bairro Feliz é um projeto da Prefeitura que traz atividades para os bairros. Nós levamos serviços e atividades. Hoje estou muito feliz de ter o nosso time campeão paulista e sul-americano, podendo demonstrar o basquete. Isso faz com que as nossas crianças encontrem no basquete uma atividade para seguir, através do bom exemplo e do contato com essa clínica aqui na quadra. É impressionante a alegria das crianças e eu fico muito feliz e agradecido ao nosso técnico Guerrinha. Quero também parabenizar os nossos atletas a agradecer pela clínica que eles estão proporcionando ao bairro de Jundiapeba hoje”, comemora o prefeito Marcus Melo.

Para o técnico Guerrinha, o projeto é ótimo e a participação da equipe no Bairro Feliz muito positiva, tanto para as crianças quanto para os atletas. “Estamos levando o basquete nessa ‘agenda positiva’ nossa a vários locais e várias crianças, algumas até que nunca viram o basquete. É levar a equipe à comunidade. Uma troca. Às vezes eles vão ver jogadores que viram pela televisão ou ouviram falar e nós da equipe conhecemos mais de perto a cidade de Mogi das Cruzes. Todos os lugares têm coisas para fazermos troca. É uma satisfação muito grande estar com eles e podermos passar um pouco da nossa alegria e conhecimento. O projeto é muito legal. As instalações são ótimas, existem várias opções de lazer e a parte desportiva é muito boa. É um centro bastante completo.”

O Bairro Feliz começou às 10h deste sábado e seguirá até as 14h, com mais de 60 serviços e atrações à disposição dos moradores, como emissão de RG para menores de 18 anos, emissão de carteira de trabalho, recebimento de currículos para encaminhamento pelo Emprega Mogi, orientações do Sebrae para abrir o próprio negócio, orientação jurídica com a OAB, além de aferição de pressão arterial, teste de glicemia, coleta de papanicolaou e exame de DST/Aids com a Secretaria de Saúde. Monitores e alunos do Crescer também oferecem corte de cabelo, limpeza de pele, esmaltação de unhas e curso de automaquiagem. 

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

Mogi das Cruzes/Helbor bate bola com alunos da escola Heráclides Batalha

Os atletas e a comissão técnica do Mogi das Cruzes/Helbor fizeram uma visita aos alunos da Escola Estadual Heráclides Batalha Camargo, no Parque das Varinhas, na manhã desta sexta-feira (19). Nem a chuva estragou a festa que os cerca de 200 estudantes fizeram com a presença da equipe. Os jogadores conversaram, tiraram fotos, deram autógrafos e, claro, bateram uma bola com a criançada. Além da brincadeira, o grupo levou bolas para a escola e algumas camisetas para serem sorteadas pela diretoria.

O time chegou à escola na zona rural de Mogi das Cruzes depois de uma carta enviada pela professora de História, Ana Paula Crispiniano Leite Duarte. “Aqui é um bairro afastado e eles não têm acesso aos jogos. Acreditamos que o esporte possa mudar a vida de muitos deles. Eu escrevi a carta e ela chegou às mãos do Guerrinha, que logo depois entrou em contato dizendo que eles viriam. Eu fiquei surpresa em ver que isso importa e é uma ação social do time fantástica. A gente está muito feliz”, comemora a educadora.

O técnico Guerrinha, que já havia visitado os alunos na semana passada, destaca que esse tipo de ação é uma recompensa para a cidade por ter uma equipe de alto rendimento. “É uma forma de retribuir esse carinho. Há uma carência do nosso país muito grande de educação esportiva e, o mínimo que a gente pode fazer em um dia chuvoso, frio, é trazer ‘calor’ para essas crianças. Esse é um agradecimento por Mogi ter um time competitivo e o mínimo é nós virmos nas comunidades também. Nesta temporada, se Deus quiser, nós vamos levar essas crianças também ao ginásio e fazer com que cada jogador seja padrinho de um núcleo para que nós possamos interagir bastante com a população”, adverte o treinador.

Com certeza, a visita dos jogadores e da comissão técnica ficará marcada para muitos desses jovens. “Isso será inesquecível para a vida deles e um incentivo. Eles vão se espelhar nesses jogadores e, quem sabe, tem algum talento escondido aqui nesse bairro distante? Além do exemplo de vida e valores, eles possam seguir o exemplo não só pelo esporte”, ressalta a diretora substituta da escola, Marina Tripode Braceiro.

O impacto da presença da equipe pôde ser notada em muitos estudantes, como no caso de Pedro Apolo Roseira da Silva, de 13 anos, do 8º ano do Ensino Fundamental. Ele estava muito emocionado em poder ver de perto os ídolos que só vê pela tevê. “Achei muito legal porque é a primeira vez que um time de alguma modalidade vem aqui. Alguns eu já conhecia porque assistia às vezes pela televisão. Gostei muito de conhecer o Shamell, o Guerrinha, todos eles.”

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

Torcida Fanáticos comemora três anos de fundação nesta quarta

O silêncio no Ginásio Hugo Ramos durante uma partida da semifinal contra o Flamengo pela temporada 2013/2014 do NBB (Novo Basquete Brasil) foi o ponto de partida para a criação de uma das torcidas organizadas do Mogi das Cruzes/Helbor: a TOF (Torcida Organizada Fanáticos). A falta de gritos e cantos incomodou um grupo de amigos que assistia ao jogo e, ali mesmo, após o final da partida, decidiu se organizar para empurrar a equipe de forma mais efusiva.

“Nós sentimos que o time precisava de mais apoio naquele jogo. O Hugão estava calado e, quando acabou a partida, na saída eu, o Guilherme e o Mau Mau juntamos mais uns amigos e decidimos que iríamos nos organizar para empurrar o time de forma mais forte, como acontece no futebol. O nome só surgiu depois de algum tempo, que nos juntamos para discutir”, explica o presidente da Fanáticos, Ederson Lima, o Magrão.

A torcida que se faz ouvir no Hugão hoje também se destaca fora dele. O grupo desenvolve várias ações solidárias, como visita ao Lar Batista, campanha do agasalho, entrega de sopa para moradores de rua e festa de Dia das Crianças. “Já são mais de 10 ações realizadas”, destaca Magrão.

Hoje coordenam a torcida com o presidente, Guilherme Borgonha, Éder Pereira, Cláudia Guazzelli, Fábio Lampólia e Thiago Mantovani. Atualmente a Fanáticos tem cerca de 70 integrantes e quer crescer ainda mais para empurrar o time aonde ele jogar. “Apesar de ter essa imagem agressiva, nós somos uma torcida familiar, com crianças e mulheres. Quem quiser fazer parte desta família é só nos procurar. Todos são bem-vindos”, finaliza o presidente.

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

Helbor renova patrocínio máster com o basquete de Mogi das Cruzes

A incorporadora Helbor Empreendimentos anunciou que continua como patrocinadora máster do Mogi das Cruzes/Helbor por mais uma temporada. A decisão foi transmitida durante coletiva de imprensa realizada na noite desta segunda-feira (15), no ComVem Patteo Mogilar, com a presença dos atletas e da comissão técnica do time, além do prefeito Marcus Melo, do ex-prefeito Marco Bertaiolli, do secretário de Esportes e Lazer, Nilo Guimarães, autoridades e de dezenas de torcedores.

“Nosso país sofre uma grande crise e a nossa empresa está há quatro anos patrocinando o basquete. A nossa intenção este ano era deixar que outra empresa ficasse no nosso lugar para também ter a oportunidade de patrocinar o basquete mogiano. Mas dois fatos aconteceram depois que nós já tínhamos resolvido isso que muito nos sensibilizaram. Em primeiro lugar, o fato de nós termos perdido a partida para o Vitória. Tínhamos certeza que chegaríamos à final uma vez que o Flamengo foi derrotado. Mas infelizmente perdemos e o esporte não é só ganhar. E no meio empresarial não estamos acostumados a abandonar um barco. Pensamos e repensamos, quando nosso amigo e ex-prefeito Marco Bertaiolli, em uma reunião, nos convenceu a continuar patrocinando o basquete. Mas quero relembrar ao nosso atual prefeito, Marcus, o que falei o ano passado quando o Bertaiolli era prefeito. Eu condicionei a continuidade do patrocínio desde que estivesse à frente do basquete o nosso secretário de esporte, Nilo Guimarães, porque ele conhece esse meio, nasceu nele e se criou nele. Enquanto ele estiver aqui, nós estamos juntos”, salientou o presidente do conselho da Helbor, Henrique Borenstein.

Aproveitando a deixa do empresário, o prefeito de Mogi das Cruzes Marcus Melo brincou que o patrocínio estaria então assegurado pelos próximos quatro anos com a garantia do cargo do secretário. “Brincadeiras à parte, eu estou muito feliz com a prestação de contas do nosso time, que foi vitorioso em dois campeonatos. A cidade está em festa e também com o Seu Henrique garantindo a continuidade do projeto como patrocinador máster. Sempre fica essa preocupação e agora a gente sabe que vai ter o apoio dele e de outros patrocinadores também que eu queria agradecer. Parabenizar também a torcida mogiana que quando o time joga a cidade inteira fica envolvida. Agradecer aos jogadores, à comissão técnica, ao secretário Nilo, ao nosso sempre prefeito Marco Bertaiolli, porque isso é o trabalho de uma cidade inteira”, ressalta ele.

Para o secretário Nilo Guimarães, a garantia da Helbor Empreendimentos como patrocinadora máster já é motivo de muito orgulho para o projeto e com certeza sensibilizará as demais empresas a continuarem apoiando o basquete. “Tem muita coisa por fazer ainda. São patrocinadores menores que a Helbor e a gente tem que lutar muito para fechar essa conta, mas o passo é muito grande e muito importante a Helbor dizer um sim à continuidade. O Seu Henrique é uma pessoa espetacular. Ele não está aqui só investindo, ele está junto e vivenciando a equipe com a família dele. Isso é mais que um investimento. É a presença da família junto com o projeto e é isso que nos diferencia dos outros. O amor que a torcida tem e as pessoas sentem isso. Hoje é um dia muito importante para nós do projeto que sabemos que teremos a Helbor por trás. Essa marca é vitoriosa e a gente está muito feliz e agradecido e esperamos manter o que temos feito com muita competência e disposição”, destaca.

Um dos entusiastas do projeto, o ex-prefeito Marco Bertaiolli, lembrou do começo da equipe e a ascensão como uma das melhores do país. “Alcançamos um nível internacional com a equipe de Mogi das Cruzes, conquistando a Sul-Americana e também o Paulista. O nosso time é respeitado pelos maiores times do Brasil. Mogi das Cruzes faz parte do cenário nacional e isso muito nos orgulha. Um projeto que começou há cinco anos conosco, galgando degrau por degrau para chegar a ser um dos melhores do país. E daqui para frente com a renovação garantida dos patrocinadores para que a gente possa continuar por mais uma temporada gritando o orgulho de ser mogiano no nosso ginásio municipal. Hoje é uma noite de felicidade, comemorando o que foi feito, uma grande temporada, e a certeza de que uma nova e boa temporada virá”, adverte Bertaiolli.

Com o anúncio de permanência da Helbor, o Mogi das Cruzes/Helbor deve dar andamento nas negociações com os atletas para a próxima temporada.

O evento também contou com a presença de outros patrocinadores e apoiadores do time, que foram homenageados pela Associação Desportiva de Mogi das Cruzes. A diretoria aproveitou ainda para fazer um balanço da temporada 2016/2017, com números de mídia, vendas de roupas, público presente nos jogos realizados no Ginásio Hugo Ramos e aproveitamento do time nas competições disputadas. 

Foto: Ney Sarmento/PMMC

Mogi das Cruzes/Helbor faz balanço da temporada e agradecimento a patrocinadores

O Mogi das Cruzes/Helbor fará um balanço da temporada 2016/2017 para os patrocinadores e apoiadores do basquete nesta segunda-feira (15), às 19h, no ComVem Patteo Mogilar. O encontro terá apresentação dos números, algumas projeções para a próxima temporada e contará com a presença de atletas, dirigentes, comissão técnica e da apaixonada torcida mogiana. Também estarão presentes autoridades, como o prefeito Marcus Mello, vereadores e o ex-prefeito Marco Bertaiolli.

A ideia do balanço é não só mostrar os números como fazer um agradecimento aos donos das empresas que investem no esporte pela maravilhosa temporada, que resultou em dois títulos de três disputados: o Campeonato Paulista e a Liga Sul-Americana.

“O evento hoje é de agradecimento da Associação Desportiva de Mogi das Cruzes a todos os patrocinadores e apoiadores. O nosso projeto já é um dos melhores do país e estamos fechando esta temporada com dois títulos conquistados. Nada mais justo do que agradecer a quem nos apoia”, destaca o secretário de Esportes e Lazer de Mogi das Cruzes, Nilo Guimarães.

Foto: Ney Sarmento/PMMC

Sub-19 do Mogi das Cruzes/Helbor perde para o Paulistano no Hugão

Vindo de uma vitória sobre a equipe de Jundiaí na segunda (8), os meninos do Sub-19 do Mogi das Cruzes/Helbor foram superados pelo Paulistano esta noite (11) no Hugão por 56 a 70. Esse foi o sexto jogo disputado pela equipe comandada pelo técnico Alexandre Rios no Campeonato Paulista. O time ganhou três e perdeu outras três.

Os destaques mogianos da partida foram o ala-pivô Felipe Franklin, cestinha com um duplo-duplo, 20 pontos e 11 rebotes, e o ala-armador Geovane Teixeira, que anotou 11 pontos, pegou três rebotes e deu quatro assistências. O pivô André Dikembe se destacou pelo lado do time da capital, com 17 pontos e nove rebotes.

"Foi um jogo equilibrado. O Paulistano é uma boa equipe e jogamos direitinho até a hora que tivemos problemas com as faltas. Não tivemos um aproveitamento bom nos arremessos, principalmente de três pontos. No final perdemos um atleta desqualificado com duas faltas técnicas, tínhamos um atleta pendurado com quatro faltas e outro que torceu o joelho. Isso em um jogo equilibrado faz a diferença. Mas, independente do resultado, foi uma boa partida", avalia o treinador Alexandre Rios.

O Mogi das Cruzes/Helbor perdeu o primeiro quarto por 22 a 25, o segundo por 8 a 11, o terceiro por 14 a 17 e o último em 12 a 17. O próximo jogo do grupo na competição será no dia 16, às 19h, em Praia Grande, contra a Associação Realizar. 

Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

Mais notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
  • 32
  • 33
  • 34
  • 35
  • 36
  • 37
  • 38
  • 39
  • 40
  • 41
  • 42
  • 43
  • 44
  • 45
  • 46
  • 47
  • 48
  • 49
  • 50
  • 51
  • 52
  • 53
  • 54
  • 55
  • 56
  • 57
  • 58
  • 59
  • 60
  • 61
  • 62
  • 63
  • 64
  • 65
  • 66
  • 67
  • 68
  • 69
  • 70
  • 71
  • 72
  • 73
  • 74
  • 75
  • 76
  • 77
  • 78
  • 79
  • 80
  • 81
  • 82
  • 83
  • 84
  • 85
  • 86
  • 87
  • 88
  • 89
  • 90
  • 91
  • 92
  • 93
  • 94
  • 95
  • 96
  • 97
  • 98
  • 99
  • 100
  • 101
  • 102
  • 103
  • 104
  • 105
  • 106
  • 107
  • 108
  • 109
  • 110
  • 111
  • 112
  • 113
  • 114
  • 115
  • 116
  • 117
  • 118
  • 119
  • 120
  • 121
  • 122
  • 123
  • 124
  • 125
  • 126
  • 127
  • 128
  • 129
  • 130
  • 131
  • 132
  • 133
  • 134
  • 135
  • 136
  • 137
  • 138
  • 139
  • 140
  • 141