logo-helbor-branco

Histórias

Gibão

Em 1995 o basquete profissional chega a Mogi das Cruzes. O time começa a fazer seus treinos. Quatro atletas são convocados para a seleção brasileira. O treinador Claudio Mortari pede jogadores da cidade para compor o elenco. É ai que Wagner Roberto de Oliveira, o Gibão, passa a treinar com o time mogiano.

Com 19 anos, Gibão treina entre os profissionais e joga apenas os Jogos Regionais. Com a ideia de compor a equipe, em 1995, o jovem jogador não disputa nenhum campeonato nacional ou estadual.

No ano seguinte, Gibão começa a fazer parte do time titular de Mogi das Cruzes. Ele participa da campanha vitoriosa do paulista de 96. “Foi meu primeiro ano como profissional e foi uma campanha maravilhosa. Nós tínhamos uma equipe forte e unida, certamente foi marcante para todos os jogadores da época”, explica Gibão.

Gibão, por ser mogiano, ganha à identificação com a torcida. “Era emocionante ouvir 3, 4 mil pessoas gritando meu nome. Ainda hoje, varias pessoas me reconhecem e lembram da época em que eu jogava. Mogi das Cruzes é um cidade de potencial, é bom ter um time profissional, faz com que os jogadores novos tenham um objetivo de onde jogar ”.

O jogador ficou no time de Mogi até 1998. Hoje está de volta. Trabalha com a equipe Mogi das Cruzes/Unip. Ajuda os jogadores em diversas taefas do dia a dia e durante os jogos. Bem vindo Gibão!