logo-helbor-branco

Campeonatos

A temporada do basquete brasileiro segue as regras mundiais e começa em julho e termina em junho. Prestes a começar mais um ano de desafios, o Mogi das Cruzes/Helbor teve uma temporada com um saldo positivo e quer melhorar esse desempenho ano a ano. Passando por mudanças e evoluindo bastante no cenário nacional, o basquete de Mogi voltou com estabilidade e já se prepara para a temporada 2013/12.

O primeiro desafio mogiano na temporada passada foram os Jogos Regionais de Caraguatatuba. A equipe, que ainda era comandada pelo treinador Marcelo Ribeiro, fez um campeonato perfeito, vencendo todos os jogos e levantando a taça de campeão. A final teve um gosto especial, o adversário foi o rival Suzano. Se impondo em todos os momentos, o Mogi das Cruzes/Helbor venceu por 77 a 61 e garantiu o título da competição.

O segundo campeonato que o Mogi das Cruzes/Helbor disputou foi o tradicional e bastante equilibrado Campeonato Paulista. A evolução mogiana foi apresentada em quadra. Com uma campanha melhor que a participação no ano de 2011, Mogi conseguiu garantir a quarta posição com duas rodadas de antecedência.

Quando chegou aos playoffs, mais uma vez o adversário era o Bauru, a mesma equipe que eliminou o Mogi das Cruzes/Helbor no campeonato de 2011. Usando bem a vantagem que conquistou na fase de classificação, Bauru venceu os três primeiros jogos e eliminou o basquete mogiano da competição.

Antes de entrar na disputa da quinta edição do NBB, o Mogi das Cruzes/Helbor passou por importantes mudanças. Pensando em continuar evoluindo, em outubro de 2012, o treinador espanhol Paco García assumiu o time mogiano. Outra contratação importante foi à chegada do pivô Rafael Bábby.

Antes de disputar a Liga Nacional, o Mogi das Cruzes/Helbor partiu para Bauru onde disputou os Jogos Abertos do Interior 2012. Por problemas burocráticos, Paco García não pôde comandar o time em quadra e o novo pivô também não pôde jogar. O time mogiano jogou bem, fez boas apresentações, mas em um grupo de quatro equipes, duas derrotas e uma vitória eliminaram Mogi ainda na fase de classificação.

O NBB começou em novembro. A equipe não passou por muitas mudanças no elenco, mas o Paco deu uma nova dinâmica ao grupo.
Durante o campeonato, Mogi enfrentou muitas dificuldades. No começo, o treinador espanhol teve problemas para conseguir comandar a equipe de dentro da quadra. Outro grande problema foram as lesões que acompanharam a equipe mogiana durante todo o campeonato.

Sendo estreante na competição, Mogi fez uma boa campanha. Mesmo ficando fora da zona de classificação para os playoffs, a equipe mostrou um bom nível técnico e jogou de igual para igual com as principais equipes do campeonato.

No fim, o Mogi das Cruzes/Helbor ficou no 15ª posição sem nenhum risco de rebaixamento. Foram 34 jogos e Mogi venceu 11. Destaque para as atuações individuais da aposta Rafael Bábby (médias de 14 pontos, 8.7 rebotes, 17.68 de eficiência em 31 jogos), o pivô Thomas Gehrke ( médias de 13.6 pontos, 6.5 rebotes, 15.91 de eficiência em 34 jogos) e o ala Guilherme Filipin ( médias de 12.7 pontos, 3.4 rebotes, 12.48 de eficiência em 33 jogos).

Com o fim da temporada, mais mudanças aconteceram no Mogi das Cruzes/Helbor. A prioridade foi manter uma base forte para as próximas competições. Permaneceram em Mogi o treinado Paco García, os pivôs Rafael Bábby, Thomas e Lucas, os alas Pedro Patekoski, Guilherme Filipin e o americano Maurice Riddick, além do armador Gustavo Lima.

Pensando em reforçar o time, foram contratados três jogadores. O pivô Daniel Alemão, o ala Pedro Macedo e o armador Jefferson Campos.   
Ainda há espaço para mais jogadores e a diretoria mogiana segue trabalhando para trazer bons jogadores, mas sem esquecer a estabilidade financeira da equipe.

A torcida foi um show a parte na temporada 2012/13. Com o ginásio sempre cheio de apaixonados por basquete, todos os times conheceram a pressão que é jogar no “Caldeirão” Hugo Ramos. A temporada2 013/14 já vai começar e mais uma vez a torcida esta convocada para caminhar ao lado da nossa equipe.

Com as mudanças, os objetivos também mudam e o desejo de evoluir cresce cada vez mais. Uma equipe forte, que possa competir bem em todos os campeonatos que o Mogi das Cruzes/Helbor disputar.
#VaiMogii

  • icon Resultados
  • Próximas partidas